quinta-feira, 8 de novembro de 2007

_culinária retropofágica

)esse post é teu(.)(

Cansei de escrever sobre mosquitos, relógio, salas borgianas. Cansei de escrever com a cegueira de Saramago, com a nitidez de Machado e com palavras que nada significam, senão tudo. Cansei de falar de sexo e ser incompreendido - isso sem tocar no ódio que criei aos porcos que não se identificam e à ignorância de algumas mariposas e a astúcia de uMA única )pois ser mais claro nisso é pedir a carta violeta e puxar o gatilho(. Cansei de me sentir culpado por não escrever Ricardo da maneira certo - não sei e ponto! - assim como me cansei de servir de aquário: pasmem, o vidro quebrou e o peixe agora está se contorcendo ao seu pé - mas mesmo assim, N-A-D-A. Cansei de esperar por um risco na parede...aí o vai: ||| L |||

Verme, tu, vamos! É liberdade, também, fechar-te e ver a escuridão - fica com ela, não quero vê-la, guarda; lembra que um dia esse breu não mais se conterá no cubículo de tua mente e aflorará, não tema pelo pior.

Verme, verme. Roa - nem isso será que consegues fazer? será que, teus dentes, foram-lhes arrancados na infância? Viva, coma, reproduze-te - é difícil pedir wits quando só o que se têm no mundo são drogas, drogas, drogas e um pouco de conhecimento )argh, que nojo!(.

)Ôpa, a vida é uma realidade que inexiste.(

Ok, admito: sou um hipócrita. Um verme de quinta categoria: rôo, algo, drogo-me a cada mordida. Sabei, um pedaço, pequeno que valha infinitude da possibilidade, é o pecado, o primeiro que se rói é pior que a tragada de um cachimbo divino - minto, cada fatia de carne que mastigo se conclui com um pouco de LSD. Putos que sois. )sabei que de dia sou tão verme quanto vos e que à noite existe como um vôo na brisa, não? pois relembrai.( Puto que sou. Sempre que a noite chega - maledeta, mantém sua perseguição? não cansa? - e minha viagem pelas estrelas se inicia, vejo, ao fundo, no Orizonte, logo ao fim do túnel - vede, agora? se não, nunca mais o vereis - um pássaro estranho, amorfo - morfético - e branco. A cada segundo que passa no relógio, sinto-me que me aproximo - ou que se aproxima, tantufas - de sua existência. Com a experiência dos anos, aprendi que - atarantai-vos - só podia sair desse nefando túnel, só notava o fim do Orizonte quando todo o vermelho da alvura daquilo evaporasse. Creio em coincidências; sempre que o pássaro caia ao chão, a manhã estava nascida, e àquela carne, repudiosa, assassina, queria distância - era meu prato predileto esse pássaro, porém comer minha própria vítima me é retropofágico em demasia.

Não me desconcentrai! Vós, alimentados por pílulas vitamínicas e comprimidos de sa)pis(is)ência( minerais, ignoram o instinto selvagem: libertai, comai da carne sem rancor, pois dessa é que surge todo o saber - credes n'índios ou n'outros? - e toda liberdade.

Como já dito, é o mundo dos vícios e das drogas, drogas, drogas e do conhecimento. Quero o mundo meu. E quero teu mundo para ti.

)o não é um sim com nome outro e repercussão única. Algo muda?(

Aja, verme, como quiseres. Saiba que isso que te alimenta é, por demais, o pior de todos os sóis: cega e esquenta, agita e guia. Puto. Prefiro minha carne - e que roa!

11 comentários:

Giu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giu disse...

Eu realmente te admiro.
Sua criatividade e seu jeito de lidar com as coisas, principalmente as ruins.

Tava mais do que na hora de vc escrever esse texto, eu acho.
E muito bom que vc tenha escrito de uma forma tão clara assim( pelo menos p. mim ficou, excluindo algumas coisas!)

Quer saber? Que se fodam as pessoas e oq elas pensam... Como eu diria: vc não tem nada com essas pessoas, não é?

Acho q esse texto sim exprime sua verdadeira personalidade e redenção.

To com vc para tudo q vier.

Ricky disse...

Fiquei feliz em ver aí!!!

Eu e meu AQUÁRIO!

Dps comento decentemente!

thales disse...

Mano!
Espera domingo


alias
5-3-3
(5+3).3 = 24!

Letícia disse...

Li esse texto mas simplesmente não sabia o que comentar.
Me parece seu texto mais ácido e eu gostei disso.
Confessional. E mais inteligivel também. Alias, isso é uma coisa em que vc melhorou muito eu achei: seus textos estão muito mais compreensiveis para leigos.

E esse é mais um dos meus comentários infames e educados.
Mas se ele está aqui é porque eu gostei do texto.

e é laranja! so q de uma tonalidade diferente!!!

Bjos

Saulo disse...

puto que �s, Borbas.

Ricky disse...

É irônico quando todos te acham claro, eu não consigo te entender. Que é a mariposa astuciosa? é quem está em minha mente?
Acho que realmente vc está cansado de tentar ser. Já que o ´´aquario quebrou, é hora de nadar e não de nada.

Lembre-se o verme se alimenta das entranhas e esse é o úncio motivo de sua existência. Que tal eliminar o parasitar e ter uma vida saudável?

Socosemordidas

Ricky disse...

Então me explique seu texto. O meu novo post não é complicado é tão simples quanto o anterior.

Ana Paula disse...

Fofo tbm vc colocar "Ana P. dançando flamenco..." huahauahauh
Então, eu vou pra Itália, Espanha, Inglaterra (talvez), Suíça, França e Alemanha (não necessariamente nessa msm ordem; td depende de onde-é-mais-barato-ir-para-tal-lugar)...
E "are you a real person" é a foto? huahauhaauh eu não sei mexer direito, não sei pq ficou tão grande...
E qto ao seu texto, eu ainda não entendo mto, mas ele tem uma sonoridade boa de se ouvir! E vc aprendeu "nefando" na aula de doutrinas políticas? =P
Bjo!

Ana Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme Dearo disse...

Eis meu comentário, Borbas:
gostei do texto. Pela primeira vez seu texto está conectado a esse mundo, o de cá. Não que os outros não estivessem baseados em idéias vindas de cá, mas este estabelece um diálogo metalingüístico bem original.
Pelo que entendi, é uma forma de protesto (acho que não vai gostar dessa palavra). Uma bronca para aqueles que nunca entendem seus textos!

Mas é praticamente um grito de "acorde!" para muitas pessoas que simplesmente se mantêm de modo medíocre com as coisas desse mundo, não percebem que apenas estão se cegando. Não roem a carne, não descobrem o que há, de fato.
O que está faltando é isso. Um mergulho num novo mundo, que a princípio parece a escuridão total, mas pode ser bem conhecido com o tempo. Eu vi até um "seja mais open-minded" ou "abra as suas portas da percepção". Acho que uma boa maneira de fazer isso é o que você faz, se valendo da Arte, roendo tua carne!!!